Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Supernova Jovem

Existe uma grande simbiose entre a Astronomia amadora e a Astronomia profissional. Uma das principais áreas onde é possível uma contribuição mais efetiva nesta relação é a de evolução estelar. Supernovas são continuamente descobertas por diversos grupos de astrônomos amadores de todo o mundo. No Brasil, destaca-se o projeto BRASS (Brazilian Supernovae Search), formado por Tasso Napoleão, Cristovão Jacques, Carlos Colassanti e Eduardo Pimentel, que buscam estes maravilhosos objetos celestes em galáxias próximas. Mais de 15 objetos deste tipo foram descobertos pelos nossos valentes e entusiasmados amigos de longas datas.

São iniciativas como esta, sem nenhum apoio governamental, que ajudam na divulgação desta maravilhosa ciência e possibilita grandes descobertas astronômicas, como o caso da supernova 1979c. Observada por um astrônomo amador, a supernova proveniente da explosão de uma estrela com 20 massas solares, localizada na Galáxia M100, distante cerca de 50 milhões de anos-luz da Terra, tornou-se um buraco negro. Este objeto está sendo estudado pelos telescópios espaciais Chandra e Swift da Nasa, combinado com dados dos telescópios XMM-Newton da ESA e do ROSAT da agência espacial alemã.

Como resultado das pesquisas com a SN1979c temos, hoje, 15 de novembro de 2010, a descoberta do mais jovem buraco negro encontrado, e seu estudo possibilitará aos astrônomos profissionais entender a evolução desta classe de astro ainda envolto em grande mistério.

Torcemos para que iniciativas como o do BRASS e de outros grupos em todo o mundo continuem a contribuir para as pesquisas e a saciar a necessidade de novos conhecimentos.