Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

SpaceShipTwo é o nome da nave

 

Por Naelton Mendes de Araujo – Astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro

 

Em junho de 2004, o pequeno avião-foguete SpaceShipOne fez o seu primeiro voo suborbital e conquistou o “X Prize” ao alcançar 100km de altitude. Na época aquilo me encheu de esperanças de ver o primeiro voo espacial de turismo comercial e, quem sabe, viajar no espaço. Mas a “navezinha” era pequena demais (um piloto e dois passageiros) para ser economicamente viável.

Agora o irmão mais novo e maior, o SpaceShipTwo (capaz de levar mais de 10 pessoas de uma vez),  fez seu primeiro voo supersônico usando o mesmo tipo de foguete híbrido (combustível sólido e oxidante gasoso). A expectativa agora é que até o fim do ano ele repita a façanha do irmão mais velho e atinja o espaço. A Virgin Galactic é a empresa que oferece os primeiros voos espaciais usando esta nova tecnologia, mas já há outras empresas competindo pelo mercado.

O SpaceShipTwo veio para quebrar de vez a ideia de que voar no espaço é tão difícil e perigoso que só pessoas com corpos de atleta podem ser astronautas. O famoso físico Stephen Hawking já demonstrou interesse em ser passageiro e já fez voos de simulação de microgravidade. Ele tem uma doença degenerativa grave que o prende a uma cadeira de rodas e sua respiração é artificial há vários anos. Entretanto, tudo indica que essas limitações físicas não serão impedimento.

Mais de quinhentas pessoas já reservaram passagem (inclusive alguns brasileiros). Por enquanto ainda está muito caro: US$200.000,00. Mas quem sabe se antes de ficar muito velhinho eu ainda tenha a oportunidade de ver a Terra do espaço? E você? Também gostaria de fazer uma viagem desta? Isso já não é mais ficção científica.

 

Confira mais do assunto nos links abaixo:

 

http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2013/05/stephen-hawking-diz-em-evento-que-quer-viajar-ao-espaco-com-virgin.html

 

 

http://www.megacurioso.com.br/exploracao-espacial/36384-virgin-galactic-quebra-barreira-do-som-e-esta-a-um-passo-de-voos-comerciais.htm

 

Curta a fanpage do Planetário no Facebook, siga o Planetário no Twitter e fique por dentro de todas as novidades da Astronomia e da programação do Planetário.