Omega Centauri

Estamos numa época do ano em que a região das constelações do Cruzeiro do Sul e do Centauro chamam especial atenção. Nos últimos posts da sessão temos falado bastante dessa região, que é bastante fácil de ser reconhecida no céu logo no início da noite. Procure descobrir onde está o Sul (se o Sol se pôs à sua direita, o Sul estará à sua frente) e procure no céu a inconfundível cruz do Cruzeiro do Sul.

No que diz respeito a aglomerados estelares, essa região é muito interessante porque possui dois fáceis de serem observados, e cada um de um tipo diferente. Um deles é a Caixinha de Jóias, no Cruzeiro do Sul, sobre o qual já falamos um pouco nesse post recentemente. O outro fica na constelação que cobre o Cruzeiro, o Centauro, uma figura mitológica meio homem, meio cavalo.

Veja na carta abaixo, com o céu do Rio no dia 29 de maio de 2019 às 19h, a localização do aglomerado Omega Centauri.

Céu do Rio, 29 de maio de 2019, destacando a posição de Omega Centauri.

Aglomerados estelares são de dois tipos: abertos ou globulares; esses últimos também chamados fechados.

Aglomerados abertos, como a Caixinha de Jóias, são formados por estrelas novas, e localizam-se no plano da Galáxia. Aglomerados globulares, como Omega Centauri, são formados por estrelas mais antigas, e distribuem-se ao redor da Galáxia, numa região conhecida como halo. As estrelas da Caixinha têm aproximadamente 16 milhões de anos de idade, enquanto as de Omega Centauri aproximadamente 11,5 bilhões de anos.

Aglomerados globulares são mais populosos que os abertos. Enquanto Omega Centauri possui cerca de 10 milhões de estrelas, a Caixinha de Jóias possui pouco mais de 100 estrelas.

Uma frase muito comum em Astronomia é “os objetos estão próximos no céu”, ou “os objetos estão afastados no céu”. Isso se refere ao que chamamos distância aparente, aquela que leva em conta apenas a posição dos objetos no céu, e não a sua distância real. Podemos dizer que Omega Centauri e Caixinha de Jóias estão próximos no céu, mas suas distâncias a nós são: cerca de 15,8 anos-luz para Omega Centauri e cerca de 6,4 anos-luz para a Caixinha de Jóias.

A Caixinha de Jóias é mais brilhante que Omega Centauri e tem marcado sua presença nas observações do céu aqui no Planetário que acontecem às quartas e aos sábados.

Bons Céus!

Published by Leandro L S Guedes

Astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro - Pesquisa e Divulgação de Astronomia, atuando principalmente nos seguintes temas: Astronomia, Astronomia Extragaláctica, Cosmologia, História da Ciência, Filosofia da Ciência, Epistemologia e Educação.