Observando o cometa Jacques

 

A observação de cometas é uma das mais prazerosas ações dos astrônomos amadores. No imaginário popular, a simples menção a cometas leva o leitor a acreditar que verá um grande objeto difuso deslocando-se no céu com uma grande cauda. A realidade é um pouco diferente. Apesar de existirem vários relatos de cometas brilhantes, observar um com brilho significativo não é rotineiro.

Na antiguidade, a observação de um cometa era vista como um presságio, positivo e, algumas vezes, negativo. Por exemplo, na conquista normanda da Inglaterra, antes da batalha de Hastings, em 1066, o Rei Harold foi informado do avistamento do cometa Halley e, no dia 14 de outubro perde o combate para o duque normando Guilherme. Este evento foi retratado na tapeçaria Bayeux.

 

Parte da tapeçaria Bayeux onde o cometa é representado.

Nos últimos anos, a descoberta de novos cometas é comumente feita utilizando-se os telescópios robotizados do projeto LINEAR, uma parceria entre a NASA (Agência Espacial Norte-Americana), a Força Aérea Americana e o Laboratório Lincoln do MIT (Instituto Tecnológico de Massachusetts), mas não se resume a apenas astrônomos profissionais. Diversos grupos de astrônomos amadores de diferentes partes do mundo dedicam grandes esforços para encontrar NEOs (objetos com órbitas próximas da Terra), principalmente asteroides e eventualmente cometas.

O grupo brasileiro SONEAR (Observatório austral para pesquisa de objetos próximos da Terra, em inglês) do astrônomo amador Cristovão Jacques, em colaboração com João Ribeiro de Barros e Eduardo Pimentel, faz parte da rede de observatórios que se dedicam à busca de asteroides e cometas. No início do ano de 2014, após a comparação de imagens feitas do mesmo campo estelar em diferentes datas, foi encontrado o cometa, inicialmente denominado S002692 e posteriormente C/2014 E2 Jacques, seguindo a tradição de denominar o cometa com o nome de seu descobridor.

Durante o mês de setembro, o cometa Jacques poderá ser observado nas constelações do Cisne, Raposa e Águia (vide ilustração abaixo). Utilizando um telescópio de pequeno porte ou um bom binóculo será possível notar a sua presença. Para se ter uma ideia da necessidade de instrumentos, estima-se que no dia 14/09 terá uma magnitude aparente de 9, muito acima do limite da visão humana desarmada.

Como passa próximo de estrelas brilhantes, sua posição no céu não será muito difícil de localizar se o observador tiver o horizonte Norte e Nordeste livre no início da noite.

 

Boa sorte aos observadores!!

 

Posição do cometa Jacques durante o mês de setembro de 2014 (crédito: Alexandre Amorim)

 

Imagem do cometa Jacques obtida por Paulo Cacella em 23/07/2014

 

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *