Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Marte há 4 bilhões de anos

 

Há muito tempo o homem procura mundos onde a vida possa existir e evoluir. Hoje temos diversos telescópios com o intuito de descobrir um planeta extrassolar semelhante à Terra. Muitos planetas já foram descobertos, mas estamos distantes ainda de conhecer a verdadeira realidade destes novos mundos.

 

Aqui perto, no Sistema Solar mesmo, temos um alvo bastante interessante que sempre instigou a comunidade científica: Marte. Este planeta é o que mais se aproxima de um mundo propício à vida. No momento não conseguimos encontrá-la e esforços estão sendo feitos para este fim.

 

Muitas sondas já o visitaram e, no momento alguns robôs estão vasculhando o seu solo, procurando por vestígios de água e seres vivos. Não encontramos água na superfície marciana, mas são fortes as indicações da existência de rios e lagos no passado. Só encontramos gelo e uma pequena quantidade de atmosfera. O que aconteceu com essa água e a atmosfera de Marte? Ainda não sabemos.

 

Hoje a NASA lançou uma sonda, a MAVEN, que levará 10 meses para chegar em Marte, no dia 22 de setembro de 2014. Ela ficará orbitando o planeta vermelho a uma distância de 6.400km, por um ano, com a finalidade de buscar uma resposta sobre a atmosfera marciana que se perdeu, com o passar dos milhões e milhões de anos. É bem provável que Marte tivesse uma atmosfera mais espessa do que a que possui hoje. Mas, em algum momento, ela se dissipou. O vento solar pode ter sido uma das razões.

 

A sonda investigará a atmosfera superior do planeta, a ionosfera e a interação do vento solar com a atmosfera de Marte. Assim será possível dimensionar a perda de elementos voláteis, como o CO2 e a água, ao longo do tempo, influenciando na habitabilidade do planeta.

 

Se quiser saber mais, inclusive com um vídeo simulando a exploração pela sonda MAVEN, veja em:

 

http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2013/11/13/nasa-simula-marte-ha-4-bilhoes-de-anos-com-rios-e-espessa-atmosfera.htm

 

http://www.nasa.gov/mission_pages/maven/overview/index.html