Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Lovejoy: o cometa do ano de 2011

 

Os cometas trazem as informações sobre a origem do Sistema Solar. Daí o interesse dos astrônomos sobre estes misteriosos objetos que nos visitam em grandes intervalos de tempo. Hoje existem diversos projetos para arrancar pedaços destes corpos celestes para estudos. Algumas sondas já pousaram e até se chocaram com alguns deles. A mais nova sugestão é lançar uma espécie de arpão de uma sonda e se apropriar de um pedaço de nossa origem.

O mais famoso dos cometas talvez seja o cometa Halley, que teve sua grande aproximação em 1910, quando sua cauda cruzou a órbita da Terra, deixando um rastro de poeira. Essa poeira entra em nossa atmosfera todos os anos, em outubro, e podemos contemplar o espetáculo da chuva de meteoros Orionideas. O Halley voltará a nos visitar em 2062.

Mas não precisamos nos desanimar com a longa espera! De vez em quando um cometa nos surpreende e provoca um espetáculo grandioso. É o caso do cometa Lovejoy (C/2011 W3). Ele começou a ser visto no final de 2011 e, após dar uma rasante no Sol – passou a apenas 140 mil quilômetros dele – sobreviveu ao poder de destruição do astro-rei. Ainda pode ser observado com um bom binóculo próximo ao amanhecer. Se você quiser observá-lo e o tempo ajudar, procure-o na direção do nascer do Sol em um local com pouca ou nenhuma luminosidade e livre de obstáculos, como montanhas ou prédios.

Mas se apressem, pois é só até esta semana. Enquanto ele se afasta do Sol seu brilho diminui e a cauda se desfaz. O Lovejoy só retornará daqui a 314 anos! Mas, certamente, outros cometas nos visitarão e belos espetáculos ainda nos aguardam.

Boas observações e feliz 2012!