Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

E a Lua ficou mais nova

 

Esta semana foram divulgados resultados de estudos em rochas lunares que indicaram que a Lua pode ser mais nova do que se imaginava. Em vez de ter sido formada há 4,5 bilhões de anos, seu “nascimento” teria se dado 100 milhões de anos mais tarde.

 

A teoria mais aceita para a origem da Lua é de que ela surgiu do choque de um corpo gigante com o planeta Terra ainda em formação. O impacto teria arrancado um pedaço do planeta, que na ocasião era ainda um aglomerado de material derretido, e formou o satélite natural. Assim como a Terra, a Lua também foi esfriando com o tempo. O magma se solidificou em diferentes compostos minerais, e os mais leves formaram a crosta da Lua (de onde foi retirada a amostra analisada).

 

A nova idade da Lua é baseada em análise de rocha lunar trazida para o nosso planeta pela missão Apollo, em 1972. Você pode se perguntar o motivo de termos chegado a essa conclusão somente agora, se as rochas estão na Terra desde 1972. Acontece que a amostra trazida da Lua pôde ser analisada por uma técnica que somente agora está disponível.