Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Chineses vão à Lua

 

A República Popular da China tem se tornado uma potência espacial nos últimos anos. O primeiro satélite chinês, o Dong Fang Hong, foi posto em órbita em 1970. Em 1993 foi fundada a China National Space Administration (CNSA), o equivalente chinês à NASA norte-americana. O primeiro astronauta chinês orbitou a Terra em 2003. Quatro anos depois a sonda Chang´e 1 foi posta em órbita da Lua. Em 2010, a Lua recebeu mais uma sonda orbital, a Chang´e 2. Esta última, depois, foi redirecionada para sobrevoar o asteroide Toutatis. Em 2011, a Tiangong 1 se tornou a primeira estação espacial chinesa.

 

Este ano mais um passo decisivo para o programa espacial chinês pode se tornar real: o primeiro pouso suave na superfície da Lua. Em 2009 a Chang´e 1 colidiu com o solo após várias voltas ao redor da Lua. Várias fotos e dados foram obtidos. A nova sonda lunar chinesa chama-se Chang´e 3 e tem uma missão ainda mais arrojada que a anterior: levar um rover lunar. O termo rover é usado para descrever um veículo teleguiado automático para exploração remota. Na década de 70, a antiga URSS enviou dois destes “carros-robôs” para a Lua: os Lunokhod. Desde então só Marte foi alvo de rovers.

 

Se tudo correr conforme os planos, 2015 será enviada a Chang´e 4. Esta futura sonda deverá trazer amostras da superfície lunar para a Terra. Os planos da CNSA não param por aí. Há projetos de veículos automáticos, os chamados lunar rovers. O ano de 2024 é a data prevista para que astronautas chineses pisem na superfície do nosso satélite.