Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Água Extrassolar

Há mais ou menos sete anos-luz daqui da Terra, existe um objeto curioso que ainda não tem um nome propriamente dito. Este corpo celeste é denominado WISE 0855–0714. Não é exatamente um planeta, pois não gira ao redor de estrela. Não é uma estrela no sentido mais estrito da palavra, pois não produz luz através de fusão nuclear em seu interior. É como se fosse uma estrela que falhou: uma estrela que, em seu processo de formação, não alcançou massa suficiente para fundir hidrogênio em hélio de forma contínua. Chamamos este tipo de objeto de anã marrom. Este tipo de objeto poderia ser classificado, pela sua massa, abaixo das pequenas estrelas e o acima dos grandes planetas gasosos. Estes corpos emitem pouco na faixa da luz visível e mais no infravermelho.

Recentemente, a busca de água fora do Sistema Solar teve um avanço considerável. Um grupo de astrônomos do Instituto Carnegie, em Washington (EUA), usando um telescópio do observatório de Las Campanas, no Chile, conseguiu identificar, com muita dificuldade, indicações da existência de nuvens de cristais de gelo nesta anã marrom. Estas nuvens também são encontradas em planetas gigantes gasosos como Júpiter e Saturno. Usando as mesmas técnicas em um telescópio infravermelho mais potente poderiam identificar água em planetas rochosos do tipo da Terra. Se as previsões de lançamento do Telescópio Espacial James Webb estiverem certas, em 2018, provavelmente, teremos novidades sobre o assunto.

 

Link de interesse:

http://mensageirosideral.blogfolha.uol.com.br/2014/09/15/nuvens-de-agua-fora-do-sistema-solar/

http://www.jpl.nasa.gov/news/news.php?release=2014-127