Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

A Rússia e o Espaço

Em julho deste ano, tive a oportunidade, por ocasião de um congresso, de conhecer a Rússia. Diferentemente da maioria dos turistas, não fui a São Petersburgo. Fui, isso sim, a Nizhny Novgorod, cidade industrial que, no folclore daquele país, é descrita como “o bolso da Rússia” (Moscou é a cabeça e São Petersburgo é o coração).

Não é de se espantar que eu tenha conhecido vários russos em minha estadia por lá, a maioria trabalhando em Astronomia e Educação. Em dado momento, pude acompanhar uma conversa que, a mim, soou surreal. Era um russo e um americano discutindo quem havia, de fato, ganho a Corrida Espacial durante a Guerra Fria. Surreal, pois o russo insistia que a vitória era americana, enquanto que o americano afirmava que a Rússia havia ganho!

Todos sabemos que os russos enviaram o primeiro satélite (Sputnik, 1957) e o primeiro homem (Gagarin, 1961) ao espaço. Se respeitarmos a definição do termo “corrida”, é óbvio que os russos ganharam! Mas se preferirmos chamar a Corrida Espacial de Conquista Espacial, quem de fato levou a melhor? Difícil saber… A NASA (agência espacial americana) mandou homens à Lua; a Rússia bateu recordes de permanência no espaço.

Hoje, com as sucessivas crises econômicas que afligem a Rússia (já há bastante tempo) e também os Estados Unidos (que recentemente encerrou seu programa de ônibus espaciais), nossos olhos se voltam para a China, e aparentemente a corrida, ou a conquista, ainda não acabou e, portanto, é cedo para declararmos um vencedor.

Mas por que estou falando dessas coisas? Falo disso porque li recentemente que a Rússia se propõe a prolongar a vida útil da ISS, sigla em inglês que designa a Estação Espacial Internacional. A iniciativa russa recebeu imediatamente o apoio do diretor de operações da NASA, e dos representantes da Agência Espacial Europeia (ESA). Não é pra menos: graças à MIR, a famosa estação espacial russa, ninguém entende deste tipo de construção tão bem quanto os russos.

Longa vida à ISS. Prolongada, de preferência…