Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

50 horas de Centaurus A

 

A peculiaridade da galáxia Centaurus A é imensa. Apesar de classificada como uma galáxia do tipo elíptica, ela apresenta uma grande quantidade de gás e poeira, característica típica de uma galáxia espiral. Teorias recentes sugerem que esta galáxia seja resultado da coalescência entre uma elíptica gigante e uma espiral.

 

Este objeto vem sendo estudado desde agosto de 1826, inicialmete pelo astrônomo inglês James Dunlop, e recebeu a denominação de Centaurus A nos anos 50 do século passado, por ter sido o primeiro objeto emissor de rádio descoberto na direção da constelação do Centauro.

Situada a 12 milhões de anos-luz de distância, esta galáxia apresenta forte emissão na frequência rádio e jatos de matéria (como pode ser observado na parte superior da foto), produzidos por um gigantesco buraco negro localizado em sua região central com massa de 100 milhões de massas solares. Infelizmente não é possível, devido à enorme quantidade de gás e poeira na região equatorial da galáxia, observar diretamente o objeto central.

A grande notoriedade desta imagem é seu grande tempo de exposição total, cerca de 50 horas. Ela foi produzida utilizando três filtros coloridos (azul, vermelho e verde) além de filtros que realçam o Hidrogênio e o Oxigênio. Estes filtros foram colocados no instrumento denominado Imageador de Grande Campo e acoplado ao telescópio de 2,2 metros do Observatório Europeu do Sul localizado no Chile.