Um planeta diferente

Mais um planeta foi descoberto fora do Sistema Solar. Hoje já são aproximadamente 2.000 planetas descobertos. Só o telescópio Kepler anunciou em fevereiro deste ano 715 novos mundos. É claro que alguns deles ainda terão que ser confirmados por novas observações, determinando suas características (massa, tamanho, temperatura, etc.).

 

O que tem intrigado os cientistas é a presença de um planeta rochoso, o Kepler-10c, descoberto em 2011, e agora confirmado, com cerca de 17 vezes a massa da Terra e duas vezes o seu tamanho. Sua temperatura é mais de 850 graus e ele orbita a estrela em apenas 45 dias. Quando foi descoberto pelo telescópio Kepler, através do método do trânsito (quando o planeta passa na frente da estrela e diminui o seu brilho), não se pode saber se o planeta era gasoso ou rochoso. Isso só foi possível com a ajuda de outro equipamento, o HARPS-North, nas Ilhas Canárias.

 

Veja mais em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/06/140602_ciencia_planeta_novo_hb.shtml?ocid=sw_facebook

 

Mas qual a importância deste planeta? Até então se pensava que um planeta com essa massa deveria ser formado de gases, com um núcleo rochoso, como os planetas Urano, Netuno, Júpiter e Saturno. Mas este se apresenta sem a grande camada gasosa, sendo formado de rochas. E ele não perdeu essa camada gasosa, pois tem massa suficiente para aprisioná-la. Foi formado assim.

 

Outro fato curioso é que o sistema planetário Kepler-10 (que tem outro planeta o Kepler-10b) tem 11 bilhões de anos, mais que o dobro do tempo de vida do Sol. Isso é apenas três bilhões de anos após o Big Bang, o início da expansão do Universo. Naquela época praticamente só existiam hidrogênio e hélio. Para se formar planetas rochosos é necessário ter elementos mais pesados como o ferro, por exemplo, com a evolução das primeiras gerações de estrelas. E esses elementos pesados só se espalham pelo espaço, incorporando matéria em outros sistemas planetários, com a explosão de estrelas, o que só deve ter acontecido muito tempo depois do Big Bang, bilhões de anos depois. Mas, então, como se formou um planeta rochoso com essa grande massa e pequeno tamanho, ou seja, tão denso, em uma época em que existiam poucos elementos pesados provenientes de explosões de estrelas?

 

Isso ainda não se sabe, mas agora estamos sabendo que a formação de mega planetas, como o Kepler-10c, pode ter ocorrido mais cedo do que nossos estudos indicavam. Este é mais um dos mistérios da Astronomia, que agora começamos a decifrar. E aumentou muito a chance de encontrarmos planetas parecidos com a Terra.

 

Crédito da imagem: Harvrad-Smithsonian Center for Astrophysics/David Aguilar

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *