Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Quantas galáxias existem no Universo?

Quando recebemos visitantes aqui no Planetário, uma das coisas mais perguntadas é “Quantas estrelas existem?”.

Essa é uma pergunta um pouco complicada de responder. Se formos contar na nossa galáxia, a Via Láctea, encontramos mais ou menos 200 bilhões de estrelas, mas como sabemos que o Universo é composto por várias galáxias, temos que mudar a pergunta: quantas galáxias existem no Universo? A resposta pra essa pergunta não é muito satisfatória: ninguém sabe. Os cientistas acreditam que existem cerca de 100 bilhões de galáxias no nosso Universo, mas não se sabe o número exato, afinal ninguém nunca parou para contar todas as galáxias existentes.

Com a melhoria dos telescópios passamos a ser capazes de ver cada vez mais galáxias. O Telescópio Espacial Hubble foi responsável por encontrar e fotografar muitas delas. Em 2012, a equipe responsável pelo Hubble juntou várias imagens de um pedacinho do céu obtidas pelo telescópio ao longo de uma década e criou o Hubble Extreme Deep Field (Campo Extremamente Profundo do Hubble). O resultado foi esse:

Parecem um monte de manchinhas sem sentido, mas, na verdade, cada pontinho colorido que vemos nessa imagem é uma galáxia! E, quanto menor o pontinho, mais distante de nós essa galáxia se encontra. Existem só dois pontinhos que não são galáxias. Eles são duas estrelas (marcadas na imagem a seguir) da nossa galáxia que fizeram um “photobomb” na imagem do Hubble. (Chamamos de “photobomb” quando alguma coisa atrapalha a foto que tiramos, como por exemplo, quando aparecem pessoas no fundo de uma imagem que queremos fotografar.)

Mas como sabemos que esses pontinhos são estrelas e não galáxias? Vocês conseguem ver que nos dois objetos marcados aparecem feixes de luz em volta? Esse fenômeno é conhecido como difração. A luz das estrelas que chega até o telescópio sofre uma distorção, produzindo esses “raios” que parecem sair das estrelas (isso ocorre com os nossos olhos também). Mas nós sabemos que as estrelas são esferas, verdadeiras bolas, de gás (o nome correto deste gás é plasma). Isso ocorre para objetos que parecem pontos, como as estrelas. Já as galáxias são objetos extensos, e isso não ocorre com elas.

Agora queremos saber quem está disposto a contar todas as galáxias que aparecem nessa imagem! Aqui no Planetário nós contamos 5.317!