Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Gaia produz o mais detalhado mapa da Galáxia

A sonda espacial Gaia foi lançada em 2013 e, desde então, vem dando voltas ao redor do Sol e obtendo imagens da Via-Láctea (nossa galáxia). A sonda carrega a maior câmera já colocada no espaço, capaz de detectar o fio de cabelo humano numa distância de 1.000 quilômetros. Ao longo de quase dois anos, Gaia já observou cerca de 1 bilhão de estrelas, gerando o mapa mais detalhado de nossa galáxia (até agora).

A sonda está localizada no chamado ponto L2: um local situado a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, ao longo da linha imaginária Sol-Terra. O que é importante de se entender sobre o ponto L2 é que nele, as força gravitacionais produzidas pela Terra, Lua e o Sol se anulam. Desta posição privilegiada, a sonda pode observar todo o céu sem interrupções, ao longo de um ano inteiro.

A missão Gaia é de responsabilidade da ESA (European Space Agency/Agência Espacial Europeia). O que se espera de Gaia afinal?

Ao final dos processos de coleta e tratamento de dados, nos próximos anos, teremos uma quantidade inimaginável de informação. Preste atenção para não se perder.

Dados sobre a temperatura, luminosidade e composição química das estrelas serão coletados, ampliando enormemente nosso conhecimento atual.

Milhares de objetos serão descobertos, incluindo asteroides que possam no futuro ameaçar o nosso planeta.

Algumas das estrelas observadas pertenciam, num passado remoto, à outras galáxias bem menores, antes de serem “sugadas” pela nossa. Seu estudo permitirá investigar a origem e evolução de nossa galáxia.

A lista não para. Espera-se que os dados permitam compreender melhor a distribuição de matéria escura, uma substância invisível que mantém o universo coeso, bem como fornecer uma comprovação (mais uma!) da Teoria da Relatividade Geral de Albert Einstein.

Provavelmente, milhares de novos planetas serão descobertos.

Muito? Nem perto disso: a quantidade de estrelas que serão observadas corresponde a apenas 1% da população estimada de estrelas da Via-Láctea.

Essa é a parte boa da Astronomia: o trabalho nunca acaba!