Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Física Nuclear e a Mente Humana


  • Li que um estudo indica que nêutrons viajam entre universos paralelos!

    Quando se ouve falar de partículas menores que um átomo fazendo coisas incríveis em experiências físicas muitos de nós deixam a imaginação viajar. Quando somamos a isso possibilidade da existência de “universos paralelos” a coisas fica ainda mais instigante. Esses mundos parecem ser realidades alternativas ao nosso redor como o mundo além do espelho de Alice nas histórias de Lewis Carroll (1832-98).

    Um dos meus personagens preferidos dos X Men (1992) é o Noturno. Ele era um mutante com aparência assustadora: pele escura, três dedos nos pés e mãos, olhos amarelos e uma cauda. Seu principal poder era o de se tele transportar: desaparecer de um lugar e aparecer no outro. Na versão animada esse teletransporte se dava através de outra dimensão meio infernal, cheia de enxofre e seres nada angelicais. Outro personagem com aparência nada angelical que me vem à mente é o Hellboy (2004). Ele teria sido trazido ao nosso universo através de uma espécie de acelerador de partículas ou coisa que o valha.

    Se começar a enumerar referências fictícias a aceleradores de partículas e universos paralelos vão aparecer muitas histórias mais ou menos assustadoras.

    Ghostbusters (1984), Os Caça-Fantasmas – Quem não sonhou em ter uma daquelas mochilas de prótons? Se eu tivesse uma quando garoto poria um monte de seres imaginários para fora do meu quarto. Também tinha universo paralelo de onde vinham monstros. Mas o filme era uma comédia e os sustos eram leves.

    Horizontes de Eventos (1997) – Uma nave que devia viajar por um universo paralelo para andar mais rápido que a luz. Para isso usaria um gerador que combinava gravidade e eletromagnetismo. Claro que no enredo também se abriu um portal para um lugar sombrio e diabólico e a coisa não deu certo.

    O autor de ficção científica e horror H.P. Lovecraft (1890-1937), que também usou (talvez o primeiro) aceleradores de partículas e mundos paralelos em sua história a The Shunned House (1924), escreveu uma vez: “A emoção mais antiga e mais forte da humanidade é o medo, e o mais antigo e mais forte de todos os medos é o medo do desconhecido”. Pode ser que o receio das pessoas por física nuclear esteja ligado ao grande desconhecimento sobre o assunto. A polêmica recente sobre o LHC e uma possível (mas não provavel) destruição do planeta foi um exemplo disto.

    Links interessantes:

  • Alice do Outro Lado do Espelho
  • X-Men: Animated Series
  • Hellboy
  • Event Horizon
  • LHC – Grande Colisor de Hádrons
  • The Shunned House