Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Outro Fim do Mundo Fake

Pois é, dia 23 de Setembro, já noite, e nada do Nibiru… ou do portal para outra dimensão que ia se abrir por causa de um super alinhamento planetário. Inúmeros posts no Facebook e correntes de Whatsapp espalharam a lenda de mais um fim de mundo agendado para hoje que, novamente, não aconteceu. 

O boato era o de que esse hipotético planeta chamado Nibiru, invisível para os astrônomos, estava vindo em nossa direção e se chocaria com nosso planeta hoje. Uma breve olhada para a História recente e uma pensada sobre Astronomia poderia ter eliminado esse boato logo no início. Plutão deixou de ser planeta porque conseguimos observar objetos pequenos e distantes aqui no Sistema Solar. E estamos num ponto das tecnologias observacionais na Astronomia em que começamos a fazer imagens de planetas extrassolares, localizados a dezenas e centenas de anos-luz. Ou seja: não há a menor chance de haver um planeta no Sistema Solar, ainda mais em rota de colisão com a Terra, que não possa ser observado. E os Astrônomos do mundo não são tão unidos para guardarem um segredo como esse.

Ouça abaixo uma conversa minha com a Jornalista Georgia Cristhine da rádio Sputnik sobre esse assunto antropologicamente fascinante. Se o mundo continuar amanhã, não deixe de escrever ou vir ao Planetário para conversarmos sobre esse outros assuntos

 

 

Cena do filme Deep Impact (Paramoount Pictures)