Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Elas estão no espaço

 

A mulher dos nossos dias está sempre ocupando todos os lugares que a muitas décadas atrás eram exclusividade masculina. A conquista do espaço não é diferente.

 

A história da mulher no espaço começou com a russa Valentina Tereskhova em 1963. Demorou para que mulheres de diversas nacionalidades ocupassem papéisimportantes na aventura espacial. Foi somente na década de oitenta que as mulheres voltaram ao espaço. Em 1982 e 1983 outra russa foi ao espaço duas vezes. Seu nome era Svetlana Savitskaya. Na época chegou-se a cogitar numa tripulação composta só de mulheres a bordo de uma nave Soyuz.

Em 1983 a primeira americana em órbita foi Sally Ride. Na era dos ônibus espaciais as mulheres passaram a ser presença comum a bordo. Até o momento, a americana Peggy Whitson detém o recorde de permanência feminina no espaço: mais de 9 mil horas.

A mais nova potência espacial, a China, enviou a sua segunda astronauta Wang Yaping a bordo da nave Shenzhou-10 em 11/06. Os EUA nomearam recentemente oito astronautas e metade deles eram mulheres.

Não há dúvidas que o lugar da mulher no espaço está garantido.  Isso me faz lembrar (como sempre) da minha série preferida: Jornada nas Estrelas. Na época em que foi lançada, em 1964, a mulher ainda não ocupava lugares de destaque na sociedade. No entanto na ponte de comando da nave Enterprise havia a tenente Nyota Uhura desempenhando um papel importante na trama de ficção científica. Naquela época, apesar do voo de Tereskhova um ano antes, aquilo era considerado extraordinário e revolucionário. Hoje em dia soa muito estranho pensar numa nave espacial (fictícia ou não) com uma tripulação exclusivamente masculina.

Para saber mais:
http://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/nasa-nomeia-oito-novos-astronautas-quatro-sao-mulheres,ff0c541d7bf4f310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

http://noticias.terra.com.br/ciencia/espaco/china-envia-pela-segunda-vez-uma-mulher-ao-espaco,2c493de2b4c2f310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

http://ceurbano.blogspot.com.br/2013/03/2013-ano-da-mulher-no-espaco.html