Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

E a New Horizons nem chegou em Plutão!

 

O bom e velho Telescópio Espacial Hubble nos proporcionou mais uma descoberta extraordinária. Outro satélite foi encontrado orbitando Plutão! O quinto.

 

Esta lua, com um nome provisório de S/2012 (134340) 1, mas que logo recebeu o apelido de P5, tem uma forma irregular de 10 a 25 km de diâmetro, provavelmente menor que a lua P4, e foi observada no dia 7 de julho (2012). Das cinco luas do planeta-anão, 4 foram descobertas pelo telescópio Hubble: Nix e Hydra em 2005, P4 no ano passado e agora a P5. Caronte foi encontrada há mais tempo, em 1978.

 

As descobertas das luas P4 e P5 não foram por acaso. Fazem parte de uma investigação para encontrar possíveis objetos que poderiam causar danos à sonda espacial New Horizons. Esta nave foi lançada pela NASA em 2006, mais especificamente no dia 19 de janeiro, a um custo de U$ 700 milhões, para estudar Plutão e suas luas. Depois de viajar durante 9 anos, passando por Marte e Júpiter, ela deve chegar em seu alvo em 2015. Sua missão principal será mapear e estudar a superfície e a atmosfera do planeta-anão. O estudo de suas luas também faz parte da odisséia e, além disso, depois de deixar Plutão pretende-se que a sonda parta para procurar mais objetos do Cinturão de Kuiper.

 

Felizmente, pelas observações do telescópio Hubble, não parece haver nenhuma nuvem de detritos que possa colocar em risco a missão. Mesmo um pequeno objeto pode danificar a nave que viaja a uma velocidade de 48 mil km/h. Mas a procura continua para que a nave possa percorrer sua trajetória em segurança.

 

A nova descoberta mostrou que o sistema Plutão e suas luas é mais surpreendente do que se pensava. O que intriga é como um objeto tão pequeno como Plutão possa ter um número alto de luas. A teoria mais aceita fala de um choque entre algum astro e Plutão que ocasionou o surgimento das luas.

 

O fato é que sabemos muito pouco sobre os planetas-anões e o Cinturão de Kuiper. O que se espera é que a New Horizons tenha sucesso em sua missão e que nos traga novas e surpreendentes descobertas.