Astronomia pelo Brasil

Tendo escrito sobre a minha já não tão recente visita ao Egito (para a conferência da International Planetarium Society) e da minha atual aventura em solo ianque (para a conferência da Great Lakes Planetarium Association), percebo que cometi duas injustiças que devem ser retificadas…

Em agosto estive em Rio Claro, interior de São Paulo, participando, como palestrante convidado, da Semana de Astronomia da UNESP. A UNESP não possui curso de Astronomia, nem tampouco um planetário. Mas tem um grupo abnegado de astrônomos amadores (Los Sombreros), formado por muitos de seus alunos, que é bastante atuante e empreendedor. E com persistência e amor pela ciência, esses meninos (já adultos, eu sei, mas meninos para mim, que já há muito deixei para trás meus tempos de faculdade) conseguiram montar uma bela e variada programação. Agradeço o convite e a bela recepção que tive por lá.

Um brinde aos Sombreros! E quem os conhece bem, e em particular o “título” nada honorífico que eles se autoimpuseram, sabe que eles apreciam um brinde. E, claro, o que vem logo depois disso.

Em outra viagem recente, fui ao Ceará. Como diretor da Associação Brasileira de Planetários e membro do comitê organizador do Ano Internacional da Astronomia no Brasil, eu havia sido convidado para a inauguração dos novos equipamentos do Planetário de Fortaleza. Não pude ir, pois estava no Egito. Mas fiquei frustrado pela oportunidade perdida.

Dermeval Carneiro, diretor do Planetário de lá e uma lenda viva da divulgação científica no Nordeste, conseguiu viabilizar minha ida em setembro passado. Em troca, dei duas palestras (“História do Calendário”, na cúpula reinaugurada, e “Teoria da Relatividade”, no auditório do Espaço Cultural Dragão do Mar).

Além disso, fui premiado com um bônus. Dermeval viabilizou minha ida a Sobral, onde conheci o Museu do Eclipse e o lendário sítio onde uma expedição inglesa, ao observar o eclipse solar de 1919, comprovou as previsões de Albert Einstein, corroborando sua Teoria da Relatividade Geral. Realizei um sonho antigo com essa visita a Sobral…

E é isso. Acho que esse ano não viajo mais…

Published by Alexandre Cherman

Alexandre Cherman é astrônomo e doutor em Física.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *