Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

A Nova Biblioteca de Alexandria

Estive muito recentemente em Alexandria, no Egito, participando de um congresso da International Planetarium Society. Tirando todas as peculiaridades urbanísticas da cidade (dá pra acreditar que na cidade não existem sinais de trânsito?!?) e o fato de eu me chamar Alexandre (eu sempre ouvia piadinhas sobre ser um Alexandre em Alexandria…), o que eu sempre vou guardar na memória é a Biblioteca.

A Biblioteca de Alexandria original, em seu auge, ocupou três sítios distintos, independentes e simultâneos. Nada sobreviveu aos dias de hoje. Mas em um dos sítios originais, o governo egípcio, há sete anos, patrocinou a construção de um complexo majestoso que reúne uma suntuosa biblioteca, um planetário e um centro de convenções. O conjunto todo atende pelo nome de Bibliotheca Alexandrina, ou simplesmente, a Nova Biblioteca de Alexandria.

Falar sobre a Biblioteca não faz jus à sua beleza ou imponência. Mas conto aqui duas anedotas pescadas do discurso de abertura feito pelo Diretor-Geral, Ismael Serageldin…

Primeiro momento. “Gostaria de dar boas-vindas a todos aqui em nossa biblioteca, mundialmente famosa, e apresentar minhas mais sinceras desculpas pelo hiato em nosso atendimento… algo em torno de 1.600 anos…” Risos gerais na plateia.

Segundo momento. “Como meu antecessor, Eratóstenes, planejou…” Risos menos gerais, mas um sentimento de inveja palpável! Eratóstenes, para quem não ligou o nome à pessoa, foi quem mediu a circunferência da Terra usando sombras, no século II AEC. Não é qualquer um que pode se referir a Eratóstenes como “meu antecessor”.

Pano rápido!