Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Viver na Terra ou em Marte?

 

Marte sempre foi objeto de desejo dos Astrônomos. Os “homenzinhos verdes”, alardeados após a invenção dos telescópios, povoam o imaginário humano, sendo tema de radionovelas, filmes e livros de ficção. É um sonho de muitos que vivem no “mundo da Lua”, ou seria melhor dizer, no “mundo de Marte”.

 

Mas viver em Marte não é uma tarefa fácil de se realizar. Uma matéria feita pela revista Superinteressante, no ano passado, traça um caminho evolutivo para o planeta e para nós “humanos” se tivéssemos colonizado aquele planeta. Como era de se esperar, seríamos bem diferentes.

 

O processo de “terraformação” (nome dado ao processo de criar condições habitáveis em um planeta) leva um tempo verdadeiramente astronômico! Será que teremos tempo para isso?

 

Mesmo que isso não ocorra, as novas gerações podem sonhar com umas férias no planeta vermelho. Projetos já existem. No futuro, talvez nós seremos os verdadeiros “homenzinhos verdes”!