Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Uma lua para um planeta-anão

Plutão, o principal e mais conhecido dos planetas-anões possui cinco satélites naturais: Caronte, Nix, Hidra, Cérbero e Estige. Ter companheiros, assim como os planetas, parece normal também quando se trata de planetas-anões. O Telescópio Espacial Hubble, responsável pela descoberta de quatro satélites de Plutão, acaba de descobrir um novo, agora de Makemake, um dos cinco planetas-anões conhecidos até o momento.

Denominado S/2015 (136472) e apelidado de MK 2, o satélite pode ter sido capturado (se a órbita for elíptica), ou ter sido o resto de uma colisão de Makemake com outro corpo do Cinturão de Kuiper (se a órbita for circular), isso ainda está sendo investigado. A presença de um satélite permite que os astrônomos conheçam melhor a massa dos objetos do sistema (o que pode nos levar à sua composição), além de traçar um caminho evolutivo para eles.

O diâmetro do MK 2 é de apenas 160km (cerca de 1/9 do planeta-anão) e está a uma distância de aproximadamente 20.000km de Makemake (para comparação, a Lua está a uma distância média de 384.000km da Terra). E MK2 completa uma órbita ao redor de Makemake em apenas 12 dias.

Até o momento sabe-se que Plutão e Makemake são cobertos de metano congelado na sua superfície e a presença de satélites parece ser comum na evolução dos planetas-anões.