Uma Jornada de 50 Anos

Espaço: a fronteira final. Estas são as viagens da nave estelar Enterprise. Em sua missão de cinco anos… para explorar novos mundos… para pesquisar novas vidas… novas civilizações… audaciosamente indo onde nenhum homem jamais esteve.

A jornada acabou por durar muito mais que cinco anos. Em 8 de setembro de 1966, foi exibido o primeiro episódio da série ficção científica de TV mais famosa de todas: Star Trek (Jornada nas Estrelas para os brasileiros). O criador deste fenômeno pop foi Gene Roddenberry (1921-1991), um policial e ex-piloto de guerra que se tornou roteirista de TV. Desde então, mais cinco séries spin-off surgiram para TV e doze longas-metragens foram produzidos. Está previsto para setembro de 2016 o lançamento do décimo terceiro longa-metragem, Star Trek Beyond, e janeiro de 2017 a estreia de sétima série de TV: Star Trek Discovery.

Os roteiros inteligentes, a principio, assustaram os produtores das principais emissoras de TV, que consideraram o episódio piloto (The Cage) muito “cerebral”. Depois de ser recusada por várias emissoras, a série teve um início razoavelmente humilde, o que levou a emissora NBC a cancelar o programa na primeira temporada devido aos baixos índices de audiência.

Ao suspender o seriado, a emissora foi inundada de cartas de fãs pedindo a sua continuação. Após os sucessos no cinema de 2001, Uma Odisseia no Espaço (1968) e, mais tarde, Star Wars (1977), a série de TV chegaria ao cinema com Star Trek: The Motion Picture (1979). Em 1987, uma nova série da franquia surgiu na TV dando novo folego aos fãs: Star Trek: The Next Generation (1987-1994). Esta nova etapa foi sucedida por diversos filmes até 2002 e três outras séries de TV sucessivas até 2005. Com os longas-metragens mais recentes do diretor J.J. Abrams, a franquia provou que ainda está viva.

Star Trek trouxe influências importantes na sociedade moderna. Influências sociais, políticas, culturais e até científicas. É muito comum se referir às tecnologias previstas pela série que se tornaram reais: smartphones, tablets, materiais especias e comandos de voz para computadores. Entretanto, não foi só isso: muitas vocações científicas foram despertadas por Star Trek. Quando a série atingiu seu auge nos fins da década de 60, vários fã-clubes em universidades se reuniam para discutir os detalhes científicos e éticos dos episódios. Artistas, cientista e políticos afirmam a importância da série em sua formação (ver este artigo).

Aproveite este mês de setembro para conhecer o universo da ficção científica no Planetário do Rio.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *