Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Um eclipse lunar quase total

No fim da madrugada de amanhã (19 de novembro), acontecerá o eclipse parcial da Lua mais longo do século. O eclipse lunar é um dos fenômenos celestes mais democráticos que existem, pois não é necessário o uso de equipamento para acompanhá-lo. Apesar de não ser tão espetacular quanto os eclipses totais, o fenômeno de amanhã será uma boa oportunidade para apreciar o resultado de um alinhamento cósmico que encanta a humanidade desde épocas remotas.

O eclipse lunar acontece quando o Sol, a Terra e a Lua se alinham, fazendo com que a Lua passe pela sombra da Terra. Quando a Lua inteira entra na parte mais escura da sombra da Terra, chamada de umbra, ocorre o eclipse lunar total.

O eclipse de amanhã será parcial, ou seja, apenas parte da superfície lunar estará dentro da umbra. No entanto, por muito pouco não teremos um eclipse total, uma vez que, no ápice do fenômeno, 97% da superfície do nosso satélite natural estará na umbra.

Infelizmente o carioca só poderá observar o início do eclipse, pois a Lua estará quase se pondo, momentos antes do nascer do Sol. Procure um local onde o poente esteja livre de prédios e montanhas (lembre-se, a Lua estará bem baixa!). Às 4h19min (hora de Brasília) de amanhã, a Lua começará a entrar na umbra da Terra e o eclipse parcial terá início. À medida que a Lua se mover para a umbra, parecerá que o disco lunar está sendo “mordido”, e a parte da Lua dentro da umbra aparecerá bem escura. O Sol nascerá às 5h e, antes disso, a claridade do alvorecer irá atrapalhar a observação. O auge do fenômeno acontecerá às 6h, quando a Lua já estará abaixo do horizonte. A imagem abaixo mostra a parte da Lua que estará “mordida” no momento que a Lua desaparecer no horizonte oeste.

A chegada de uma frente fria provavelmente trará chuva para a cidade do Rio de Janeiro neste fim de semana, o que poderá impedir a observação do fenômeno. A boa notícia é que o próximo eclipse lunar será total, e poderá ser visto inteirinho, do começo ao fim, do Rio de Janeiro. Ele ocorrerá na noite do dia 15 para 16 de maio de 2022.

Quem quiser poderá acompanhar uma transmissão ao vivo do eclipse parcial: