Três sóis e um mistério

Você já se imaginou em um planeta iluminado por três sóis? A 145 anos-luz da terra (cerca de 1.370.000.000.000.000 de quilômetros) existe um lugar assim, numa direção que aponta para a constelação do Cisne.

Foi descoberto um planeta gigante pertencente ao sistema triplo de estrelas HD 188753, localizado no pedaço do céu indicado na figura ao lado. Esse é o único caso até agora em que um planeta orbita internamente um sistema múltiplo de estrelas.

Chamamos de sistema duplo duas estrelas que orbitam um centro de massa comum. O sistema triplo HD 188753 é composto por uma estrela primária em torno da qual gira um sistema duplo a uma distância média de 12,3 unidades astronômicas (uma unidade astronômica é a distância média da Terra ao Sol, aproximadamente 150.000.000 de quilômetros).

A estrela primária tem 1,06 vezes a massa do Sol, e o sistema duplo que gira em torno dela tem uma massa total de 1,63 massas solares. Além das duas estrelas, também gira em torno da primária o planeta, que completa uma volta a cada 3,35 dias terrestres e que tem pelo menos 1,14 vezes a massa de Júpiter.

Abaixo há um esquema do sistema HD 188753 (fora de escala!!!). Essa descoberta trouxe uma questão que desafia o conhecimento que temos sobre formação planetéria. Um planeta como esse se forma a uma distância de pelo menos 2,7 unidades astronômicas da estrela primária, e depois migra para órbitas mais internas. No caso de HD 188753, o sistema duplo que também orbita a estrela primária, por sua massa e distância, teria limitado o disco de gás e matéria condensada onde se formou o planeta a um raio de apenas 1,3 unidades astronômicas, e o teria aquecido de maneira a tornar impossível a formação de um planeta gigante.

Published by Leandro L S Guedes

Astrônomo, Diretor de Astronomia da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *