Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Telescópio registra estrela gigante mil vezes maior que o Sol

 

 

O Observatório Europeu do Sul (ESO) apresentou uma imagem de uma estrela hipergigante, a IRAS 17163-3907, com grande nitidez.

Geralmente, este tipo de estrela é difícil de se observar no comprimento de onda visível, pois está sempre envolta por matéria expelida pela própria estrela. Observa-se bem melhor no infravermelho. Sua configuração lembra a de um ovo frito (usando bastante a nossa imaginação).

Quando uma estrela nasce com muita massa, dezenas de vezes a do Sol, ela é classificada como hipergigante. Poucas são encontradas nessa categoria. Isso ocorre porque a grande quantidade de massa exige que a estrela produza bastante energia para compensar a força gravitacional que tende a comprimi-la. Como consequência, a estrela vive pouco, alguns milhões de anos no máximo. Em nossa galáxia, com 200 bilhões de estrelas, só conhecemos algumas dezenas delas.

Esse tipo de estrela passa por estágios violentos de expulsão de matéria ao longo de sua vida, como está previsto nas teorias de evolução estelar, formando uma camada que engloba toda a estrela e avança para o espaço. Mas o seu fim será ainda mais espetacular. Espera-se para breve (pelo menos em termos astronômicos) um show pirotécnico celestial. Conhecido como supernova, este fenômeno é um dos mais espetaculares eventos já registrados, liberando a energia de bilhões de sóis em instantes. Por sorte a  IRAS 17163-3907 está a uma distância segura: 13.000 anos-luz.

Os astrônomos agora ficam ansiosos para poder observar a supernova e melhorar suas teorias de evolução estelar além, claro, de contemplar este maravilhoso e raro fenômeno em nossa galáxia!