Tecnologia impulsiona conhecimento, que impulsiona a tecnologia

As primeiras pessoas a andar em Marte já estão caminhando por aí. Quem sabe o filho do seu vizinho, ou a sua filha, ou quem sabe, um neto seu? É o que a NASA diz. Passados 45 anos desde a conquista da Lua, que mudou o curso da humanidade, a tecnologia espacial de hoje permite especular sobre mais este passo em nossa escalada espacial.

Apesar de parecer distante, de certa maneira, a viagem a Marte já começou, com pesquisa na Terra, e bem além, a bordo de um laboratório orbital na Estação Espacial Internacional. Lá, 500km acima de nossas cabeças, astronautas de diversas nacionalidades realizam experimentos impossíveis de serem realizados na Terra, e nos ensinam como os humanos podem viver e trabalhar por longos períodos de tempo no espaço.

Mas é necessário pensar também no transporte seguro dos astronautas em jornadas tão longas. Engenheiros da NASA estão envolvidos no projeto de construção da Órion, uma espaçonave capaz de realizar viagens para bem longe de nosso planeta, além até mesmo de Marte.

Logicamente não faremos tais viagens antes de testar as novas naves em circunstâncias mais seguras. Asteroides próximos da Terra oferecem uma oportunidade única para testar as novas tecnologias e recursos das futuras missões humanas a Marte. Por volta de 2019, a NASA enviará uma missão robótica para um asteroide próximo da Terra, com uma missão já bastante audaciosa. A espaçonave tentará capturar um asteroide pequeno ou, se não for possível, retirar um pedaço do mesmo, com o objetivo de redirecionar o asteroide para uma orbita estável ao redor da Lua. Em meados dos anos 2020, os astronautas a bordo da nave espacial Orion irão explorar o asteroide e retornar à Terra com amostras dele.

Já imaginou o conhecimento que obteremos de uma amostra intacta de asteroide estudada em laboratório na Terra? Só para situar o impacto deste estudo, lembro que os asteroides são encarados como peças chaves na discussão sobre a origem do Sistema Solar. Tal empreitada, se bem sucedida, irá avançar a técnica de envio seguro de astronautas para distâncias bem maiores, incluindo Marte. O envio de seres humanos para o espaço ao redor da Lua também promoverá avanço nas técnicas para operações espaciais em torno de Marte e suas luas. O espaço em torno da Lua é diferente da órbita baixa da Terra, mas muito parecido com o que a nave espacial Orion irá experimentar na viagem para Marte. Um exemplo importantíssimo é o da radiação solar, muito intensa tanto na Lua como em Marte.

 

É esperar para ver.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *