Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Categories
Coluna do Astrônomo

Mulheres que Calculavam o Céu

Atualizados recentemente5

O dia 8 de março é dedicado à mulher. Entre os vários estereótipos sexistas que existiram por muito tempo foi a imagem de que ciência é coisa para homens, principalmente as chamadas ciências exatas. Com a Astronomia e demais ciências espaciais não foi diferente. A conquista espacial ficou, por muito tempo, associada a homens, sobretudo os astronautas. Faz algum tempo escrevi um post neste blog sobre mulheres astronautas e no meu blog pessoal também. Desde o voo de Valentina Thereshkova, a bordo da Vostok 5 em 1963, muitas mulheres tripularam naves espaciais. As mulheres têm participado da Astronomia desde muito tempo, não só tripulando naves, mas calculando o céu.

Categories
Coluna do Astrônomo

Turismo Espacial: Destinos Futuros

O Laboratório de Propulsão a Jato (Jet Propulsion Laboratory – JPL) teve sua origem em um grupo de estudantes do Caltech na década de 30 do século passado. A partir de 1958 o JPL se tornou membro da NASA. Este instituto é responsável pela maior parte dos foguetes e sondas espaciais que os americanos já lançaram. Entre as lendárias missões do JPL, temos as Mariners, as Vikings e as Voyagers. Certamente é a instituição que mais revolucionou o nosso conhecimento do Sistema Solar. Se existe algum lugar onde o futuro é feito hoje, esse é o JPL.

Outra característica de vanguarda do JPL é a preocupação de divulgação popular da exploração do espaço. Lembro que quando ainda era estudante, escrevi para o JPL, em um inglês simplório. Minha carta pedia informações sobre o espaço, mas confesso que não tinha esperança de receber resposta alguma. Alguns dias depois, começaram a chegar vários envelopes pardos cheios de folhetos coloridos e imagens, muitas imagens. Numa época em que não havia internet, aquele material era um prazer sem limites para os olhos.

Agora o JPL continua inovando na divulgação científica. Recentemente eles publicaram uma série de belíssimos e instigantes cartazes antecipando o turismo do futuro: o espaço. 

Os destinos sugeridos no Sistema Solar incluem as mais diversas e emocionantes aventuras. Imagine um passeio de balão na alta atmosfera de Júpiter. Já pensou em assistir o trânsito de Mercúrio a bordo de uma base flutuante acima das corrosivas nuvens de Vênus? Até viagens submarinas aos gelados oceanos de Europa (satélite de Júpiter) foram representadas como um pacote turístico emocionante. Os roteiros turísticos não ficam só nas cercanias do Sol: estrelas distantes com exoplanetas descobertos recentemente também são destinos representados de forma colorida e criativa.

Não sabemos quanto tempo vai demorar para que este tipo de turismo “de ficção científica” vire turismo de fato. O certo é que o JPL foi mais uma vez pioneiro ilustrando o futuro.

PS: Os pôsteres são disponíveis para baixar e imprimir. Vale a pena: verdadeiras joias de colecionador totalmente gratuitas.

 

Veja todos os cartazes em :

http://www.jpl.nasa.gov/visions-of-the-future/

http://planetquest.jpl.nasa.gov/exoplanettravelbureau

 

Conheça mais sobre o JPL em:

http://www.jpl.nasa.gov/about/history.php

http://www.jpl.nasa.gov/news/fact_sheets/jpl.pdf

 

 

 

Categories
Coluna do Astrônomo

Grande descoberta em Marte

 

Desde o fim de semana passado, quando a Agência Espacial Norte Americana (NASA) anunciou que faria um comunicado sobre  uma grande descoberta em Marte, várias pessoas especulavam o que seria. Surgiram as mais diferentes teorias: a descoberta de vida extraterrestre, uma base alienígena, egípcios marcianos (para compensar os incas venusianos) e a presença de água líquida na superfície.

Ontem, 28 de setembro de 2015, por volta de 12h30min, no horário de Brasília, terminou este mistério. Pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Georgia, sob a coordenação de Lujendra Ojha, utilizando equipamentos a bordo do MRO (Mars Reconnaissance Orbiter), confirmaram a presença de indícios de água extremamente salgada descendo pela encosta de uma cratera do planeta vermelho.

Conhecidas como linhas de encostas recorrentes, estas marcas de pouco menos de cinco metros de largura sempre intrigaram os pesquisadores que estudam Marte. De acordo com o pesquisador, os sais são formados na presença de água que pode ser encontrado na superfície e um pouco abaixo desta, fazendo com que as linhas sejam observadas durante as estações mais quentes do planeta e desapareçam durante os períodos mais frios.

Isto era esperado, uma vez que a presença de sais faz com que a temperatura de congelamento da água seja menor do que a da água pura, possibilitando encontrar-se no estado líquido. O leitor desavisado poderia pensar que estes sais seriam como a de nossas casas (cloreto de sódio), porém são os sais, cloreto de magnésio, perclorato de magnésio e perclorato de sódio.

Os pesquisadores ainda não sabem qual a origem desta água. Uma hipótese bem aceita seria a de derretimento de gelo superficial e de pouco abaixo da superfície. Provavelmente, o planeta vermelho, muito tempo atrás, teria uma atmosfera muito diferente da atual e possuía uma quantidade enorme de água na superfície, mas alguma coisa aconteceu (muitos acreditam em uma colisão com algum objeto) e perdeu parte significativa de sua atmosfera e, com isso, a pressão atmosférica na superfície tornou-se muito baixa, fazendo com que temperatura de ebulição (evaporação da água) fosse tão baixa que a água superficial evaporasse.

A vida como conhecemos necessita de água para sobreviver e a presença desta pode sugerir a existência de algum tipo de micoorganismo vivo. Nos dias atuais, a busca de vida em qualquer local, seja nos planetas e luas do Sistema Solar ou em planetas extrassolares, passa inicialmente pela busca de sinais de água e, com esta descoberta, a procura será mais intensa em Marte.

 

Categories
Coluna do Astrônomo

Norte-americanos anunciam volta à Lua

 

Semana passada escrevi um texto sobre o iminente lançamento de uma nave chinesa para a Lua que decretaria a volta de uma corrida ao satélite. Bem, ela finalmente decolou no dia 1 de dezembro e deverá aterrissar por lá no dia 14 deste mesmo mês.

 

E não é que horas antes do lançamento os norte-americanos anunciaram que pretendem voltar ao satélite até 2028?! Até então eles haviam desistido das missões à Lua, o que eu duvidava muito. Mas em pronunciamento, a NASA anunciou um projeto que finalizará com o homem pousando no lado oculto da superfície lunar em 2028. Ano que vem já começariam os testes com um voo da nave projetada para a missão, a Orion. Até 2017 ela irá até a Lua sem tripulação. Em 2021, voltará com passageiros, mas ainda sem pousar. Voltar a pisar mesmo, só no final da próxima década.

 

O principal motivo para pousar no lado oculto da Lua é testar a hipótese do que se chama de Bombardeio Pesado Tardio, quando a Terra e a Lua foram bombardeados por asteroides e cometas, há 4 bilhões de anos (na verdade, todos os planetas rochosos foram atingidos). Como se sabe, o outro lado da Lua é cravejado por crateras e nunca está virado aqui para a Terra.

 

O único problema do projeto é que não há orçamento para tal! Eles têm tudo planejado, mas não têm dinheiro para executá-lo. Então para que o anúncio? Parece mais uma daqueles pronunciamentos da NASA que pressiona o governo e o congresso dos EUA a liberar mais verba. Não deixa de ser uma boa estratégia, usar a corrida espacial para conseguir dinheiro, ainda mais agora que um “jipezinho made in China” está chegando por lá!

 

 

Shakes finally AWS-SYSOPS pdf remembered the first Amazon exam of the police officers arriving at the scene to adapt to the fourth rule P is examguideview to protect the scene of the murder. Angry horn started flooding the air in the early morning misty, quickly mixed into the drivers roar angry. A moment later, she heard sharp sirens also joined the dissonant noise, and the first police car arrived. Forty minutes later, the scene was already packed with uniformed police and criminal detectives, more than the usual number of 400-101 questions murders in Hells Kitchen the famous crime zone in New Yorks West End A lot of. In view of the shocking death of the victim, sending so many people does not seem excessive. However, Shakesi heard from other police officers that this was a big case and a media concern – the deceased was one of a group of travelers arriving at JFK last night and they made a taxi into the city, But never got home. CNN is reporting on the spot, the uniformed police officer whispered to her. So when Emilia Shakesh saw the handsome Vince Piriti, the head of the Criminal Investigation and Resource Scheduling Team climbed to the top of the embankment overlooking the crime scene and stopped to beat him from time to time It is not particularly surprising when it comes to the dust on suits of thousands of dollars. However, she was surprised. Piriti actually noticed her, and waving her past. He smoothed a little in his shaven clean face. She thought she would probably be applauded for the extraordinary performance of todays unruffled. Well done, saved the fingerprint on the iron ladder Maybe it will give her a little reward. The last hour on duty on the last day. She will leave with glorious glory. He looked up and down at her. Policewoman, you are not a novice, right I think I will not mistake. Im sorry, sir Youre not a newbie, Im sure. Strictly speaking, she can not be considered. Although she entered the police only a short period of three years, unlike her other police at this age, most have nine to ten years of seniority. Before entering the police academy, Shakesi had been in society for several years. I do not understand what youre trying to ask. He seemed annoyed and the smile on his face disappeared. Are you the first policeman to arrive at the scene Yes, sir.

Why did you block Eleven Street What are you thinking She http://www.examguideview.com/ looked at the broad street and she was AWS-SYSOPS pdf still using her trash Set barricades blocked. Shes been accustomed to the horn of a car for a long time, but now I realize its too loud, and the long queue of plugged examguideview cars stretches for miles. Chief, the first police officer who arrived at the scene was responsible for arresting the suspect, placing eyewitnesses and protecting I know the rules of adaptation, the police officer, did you block the street to protect the crime scene Yes, Sir, I think criminals will not park the car in Cisco exam that horizontal street, because it would be so easy to be seen by the people in the apartment over there.You see here and see Eleven Street seems to be the better choice. Well, I would say that this is a wrong choice, with no footprints found on one side of the railroad tracks, but two sets of footprints directed at the staircase leading to 37th Street. I took 37th Street Blocked. This is my point, they all need to be closed, and theres the train, he asked. Why did you stop it So, sir, I think the train could cross the scene. Will destroy the testimony, or anything else. What other, police officer I can not explain Cisco exam it clearly, sir. I mean What about Newark airport Yes, sir. She looked back Rescue. There are some police nearby, but they are busy, no one noticed the lectures here. What happened to Newark Airport Why did not you shut it up Austrian, great, so I was scolded. She tightened her lips just like Julia Roberts, trying to exercise restraint Sir, it looks like in Amazon exam my judgment The New York Highway http://www.examguideview.com/ is also a good choice, along with the Jersey and Long Island Expressways, and you can shut down Interstate 70 and block all the way to St. Louis, where criminals may escape. She bowed a little Head, and Pi Ruidi on the viewing. The two of them are about the same height, but his heel may be thicker. I got a bunch of cranky calls, he continued. Secretary of Ports, Office of the Secretary-General of the United Nations, Head of Conference He raised his head to the Javets Conference Center in that direction We disrupted the process, a senators speech, and traffic in the entire Western District. Even Hurricane Eva has not seen such a thorough end to the rail corridors of the Northeast Corridor. I just thought Piatti laughed. Shakes was such a beautiful woman – the sloshing up of the time before joining the police academy, the signing model for the Schadlel fashion house on Madison Avenue – so the police officer decided to forgive her. Shakespeare patrolman, he said, looking over her flat chest top with a bulky name tag. Give you an on-site instructional lesson. Work on the crime scene should take into account the balance. If we blockade the entire city after every homicide and place all three million people in interrogation, thats fine, of course. But we can not Thats what I said, and its very constructive and inspiring to you. To be honest, sir, she said bluntly Im moving away from the patrol team and it officially takes effect from noon today. He nodded and smiled happily Well, theres nothing to say, but in the report, its important to say that it is your personal decision to stop the train and the 400-101 questions enclosed streets. Yes, sir, She said carelessly Thats right.

Categories
Coluna do Astrônomo

Lua empoeirada

 

peoQuando Neil Armstrong deu os primeiros passos na Lua, em 1969, ele fazia ideia do incômodo que a poeira da Lua poderia produzir. A poeira áspera agarrou-se a tudo o que tocava, fazendo com que os instrumentos científicos sofressem superaquecimento.

 

Anos depois, na missão Apollo 17, o astronauta Harrison Schmitt, após retornar de uma longa caminhada na Lua, perto do Mar da Serenidade, sentiu forte odor desagradável ao retornar para o orbitador. A poeira lunar começou a circular pelo ambiente. Mais tarde, Schmitt sentiu-se congestionado e teve febre.

 

Para o patologista da NASA, Russell Kerschmann o verdadeiro problema é absorção da poeira pelo pulmão. De certa forma, ela se assemelha ao pó de sílica na Terra, que causa a silicose, uma doença grave. A silicose costuma atingir os trabalhadores da mineração, onde a presença de pó fino causa problemas ao pulmão. Isso não significa que vai necessariamente acontecer com os astronautas, mas é um problema que precisa ser considerado.

 

O problema da poeira na Lua foi considerado importante para a NASA, tanto que na missão Apollo 12, os astronautas colocaram na Lua um detector de poeira lunar, que fez a primeira medição dessa poeira ao longo de seis anos. A ideia era simples: três painéis solares do dispositivo, à medida que eram cobertos por poeira, geravam variação de corrente, que era registrada.

 

Curiosamente, os dados retornados para a Terra foram perdidos, e somente agora, quarenta anos depois, recuperados. Os registros analisados mostram que seria muito mais fácil faxinar uma casa na Lua do que na Terra: são necessários mil anos para que uma poeira de 1mm de espessura se forme.

 

Parece pouco, mas pode ser problemático, por exemplo, para painéis solares em futuras missões ao nosso satélite. Além disso, devemos lembrar que um planeta bem empoeirado será certamente alvo de missões tripuladas num futuro próximo. Marte, o planeta vermelho é coberto de poeira, e quanto mais soubermos sobre as propriedades e os efeitos da poeira nesses locais, mais segurança teremos nas futuras missões espaciais. Dentro desse espírito, a NASA enviou para a Lua, a sonda Ladde, que vai estudar a atmosfera de poeira de nosso satélite. Será que estamos chegando a conclusão que o aspirador de pó será um item imprescindível para o futuro da conquista espacial?

Categories
Coluna do Astrônomo

Marte há 4 bilhões de anos

 

Há muito tempo o homem procura mundos onde a vida possa existir e evoluir. Hoje temos diversos telescópios com o intuito de descobrir um planeta extrassolar semelhante à Terra. Muitos planetas já foram descobertos, mas estamos distantes ainda de conhecer a verdadeira realidade destes novos mundos.

 

Aqui perto, no Sistema Solar mesmo, temos um alvo bastante interessante que sempre instigou a comunidade científica: Marte. Este planeta é o que mais se aproxima de um mundo propício à vida. No momento não conseguimos encontrá-la e esforços estão sendo feitos para este fim.

 

Muitas sondas já o visitaram e, no momento alguns robôs estão vasculhando o seu solo, procurando por vestígios de água e seres vivos. Não encontramos água na superfície marciana, mas são fortes as indicações da existência de rios e lagos no passado. Só encontramos gelo e uma pequena quantidade de atmosfera. O que aconteceu com essa água e a atmosfera de Marte? Ainda não sabemos.

 

Hoje a NASA lançou uma sonda, a MAVEN, que levará 10 meses para chegar em Marte, no dia 22 de setembro de 2014. Ela ficará orbitando o planeta vermelho a uma distância de 6.400km, por um ano, com a finalidade de buscar uma resposta sobre a atmosfera marciana que se perdeu, com o passar dos milhões e milhões de anos. É bem provável que Marte tivesse uma atmosfera mais espessa do que a que possui hoje. Mas, em algum momento, ela se dissipou. O vento solar pode ter sido uma das razões.

 

A sonda investigará a atmosfera superior do planeta, a ionosfera e a interação do vento solar com a atmosfera de Marte. Assim será possível dimensionar a perda de elementos voláteis, como o CO2 e a água, ao longo do tempo, influenciando na habitabilidade do planeta.

 

Se quiser saber mais, inclusive com um vídeo simulando a exploração pela sonda MAVEN, veja em:

 

http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2013/11/13/nasa-simula-marte-ha-4-bilhoes-de-anos-com-rios-e-espessa-atmosfera.htm

 

http://www.nasa.gov/mission_pages/maven/overview/index.html

 
Categories
Coluna do Astrônomo

No rastro da ISS

 

Em nossa correria diária, muitas vezes, temos que resolver tantas coisas que, às vezes, gostaríamos que o dia tivesse mais de 24h. Filas em bancos, levar filhos para a escola, trabalho, trânsito, etc… Complicado, não é? Agora, imagine ter que trabalhar no espaço, com as dificuldades impostas pela sensação de ausência de gravidade? Pois é, tirando a vista lá do alto, que deve ser uma coisa de “outro mundo”, a vida pode ser mais complicada que aqui embaixo.

 

Os astronautas da Estação Espacial Internacional (International Space Station – ISS) são os “ratos de laboratório” da vez. Dormir é bem complicado para eles, uma vez que podem ver o Sol nascer até 16 vezes num intervalo de 24 horas! Além disso, o sistema de manutenção da vida no interior da estação (ventiladores, filtros de ar e vários outros equipamentos), é cheio de ruídos, sendo necessário o uso de tampão de ouvidos para dormir. Comer também é igualmente complicado. A refeição no espaço tem que ser embalada com cuidado, para que restos da refeição não flutuem perigosamente, vindo a se alojar nos respiradouros, ou até mesmo, causar sufocamento ou engasgo no pobre do astronauta. Líquidos são igualmente perigosos, pois podem futurar e, eventualmente, causar problemas elétricos. Viver no espaço decididamente não é fácil! E olha que não chegamos ao banheiro…

 

Apesar desses desconfortos, nosso destino é o espaço. Aliás, nosso presente já é o espaço. Em nossa correria diária, poucas vezes olhamos para o céu para contemplar as estrelas. Muitos se surpreendem ao saber que, no meio daqueles pontinhos brilhantes, frequentemente, estão satélites, telescópios espaciais (como o Hubble) e a própria ISS. Sim, é possível observar a ISS sem a necessidade de telescópios.

 

A NASA – Agência Espacial Norte-Americana – envia aos cadastrados, por e-mail, um alerta da passagem da Estação Espacial, informando dia, hora e local para observá-la no céu. No cadastro você precisa informar a cidade e, naturalmente, o e-mail. O link do cadastro é: http://spotthestation.nasa.gov/. Aproveite a oportunidade para conhecer melhor as constelações. Pode ser bem divertido.

 

 

 

 

Categories
Coluna do Astrônomo

Beatles, Metallica ou Foo Fighters para Acordar Astronautas? Nenhum Deles? Então Envie SUA Música!

 

Desde o projeto Gemini, antes do projeto Apollo que levou o Homem à Lua, a NASA usa músicas como parte importante de suas missões espaciais. Uma das utilizações é acordar astronautas no espaço. Em geral, são escolhidas músicas, mas algumas vezes foram utilizados trechos de filmes ou programas de televisão. As escolhas são feitas pelos controladores ou pela família da tripulação. Mas, agora, a NASA teve uma ideia bastante interessante. Não sei se agradará aos astronautas tanto quanto músicas escolhidas por suas famílias, mas…A NASA está realizando um concurso para o público escolher músicas que serão utilizadas na alvorada de astronautas da missão STS-133. Há 40 músicas já utilizadas em missões passadas que podem ser escolhidas. As duas mais votadas serão tocadas durante a missão.
Para a missão STS-134, a agência espacial americana faz algo ainda mais interessante: você pode enviar a sua música. Todos que já tocaram, ou tocam, em uma banda de rock sabem o que significa ter sua música tocada no espaço. As músicas enviadas serão também colocadas no site para serem escolhidas pelo público. Novamente, as duas mais votadas serão tocadas durante a missão.
A votação para as músicas da STS-133 pode ser feita através do site https://songcontest.nasa.gov. Se quiser ir pensando em sua escolha, abaixo estão as músicas que participam do concurso. Ao lado de cada música está um link para a página da missão passada onde a música foi utilizada. Você pode votar até o lançamento da missão STS-133, atualmente planejado para 1º de novembro de 2010. O anúncio das canções vencedoras será feito durante a missão.
Caso decida enviar a música de sua banda para os astronautas da STS-134, você tem até 10 de janeiro de 2011 para fazer isso. A votação pelo público será feita no mesmo site a partir de 8 de fevereiro de 2011, e o anúncio das vencedoras sairá em 26 de fevereiro de 2011, data do lançamento da STS-134. Essas datas de lançamento estão sujeitas a mudanças, porque, assim como no Brasil ou em qualquer país, projetos grandes e ligados ao governo estão sujeitos a atrasos. Caso as datas mudem, serão atualizadas no site da votação, e aqui neste site também.
Mas quando enviar sua música, tenha em mente que, a julgar pelas canções já escolhidas pelos controladores e familiares dos astronautas, eles parecem ter preferência pelo bom e velho Rock’n’Roll. Leia mais sobre músicas para acordar astronautas aqui (em inglês).

 

As músicas que podem ser escolhidas para a missão STS-133:

 

Título

Artista

Missão

Data da Missão (Início)

 

 

Beautiful Day

U2

STS-121

07/04/2006

 

 

Big Boy Toys

Aaron Tippin

STS-117

06/08/2007

 

 

Blue Sky

Big Head Todd

STS-123

03/11/2008

 

 

Bright Side of the Road

Van Morrison

STS-119

03/15/2009

 

 

Countdown

Rush

STS-109

03/01/2002

 

 

Drops of Jupiter

Train

STS-111

06/05/2002

 

 

Enter Sandman

Metallica

STS-123

03/11/2008

 

 

Fly Away

Lenny Kravitz

STS-124

05/31/2008

 

 

Fly Me to the Moon

Frank Sinatra

STS-129

11/16/2009

 

 

Free Fallin

Tom Petty

STS-101

05/19/2000

 

 

Get Ready

The Temptations

STS-88

12/04/1998

 

 

Good Day Sunshine

The Beatles

STS-128

08/28/2009

 

 

Here Comes the Sun

The Beatles

STS-116

12/09/2006

 

 

Higher Ground

Stevie Wonder

STS-129

11/16/2009

 

 

Homeward Bound

Simon & Garfunkel

STS-118

08/08/2007

 

 

I Got You (I Feel Good)

James Brown

STS-88

12/04/1998

 

 

Imagine

John Lennon

STS-107

01/16/2003

 

 

Kryptonite

3 Doors Down

STS-125

05/11/2009

 

 

Learn to Fly

Foo Fighters

STS-118

08/08/2007

 

 

Learning to Fly

Tom Petty

STS-127

07/15/2009

 

 

Magic Carpet Ride

Steppenwolf

STS-103

12/19/1999

 

 

Moon River

Audrey Hepburn

STS-115

09/09/2006

 

 

Mr. Blue Sky

Electric Light Orchestra

STS-118

08/08/2007

 

 

On the Road Again

Willie Nelson

STS-131

04/05/2010

 

 

Over the Rainbow

Israel Kamakawiwo’ole

STS-122

02/07/2008

 

 

Rendezvous

Bruce Springsteen

STS-103

12/19/1999

 

 

Rocket Man

Elton John

STS-120

10/23/2007

 

 

Roll With It

Steve Winwood

STS-113

11/23/2002

 

 

She Blinded Me With Science

Thomas Dolby

STS-102

03/08/2001

 

 

Should I Stay or Should I Go?

The Clash

STS-98

02/07/2001

 

 

So Far Away

Dire Straits

STS-85

08/07/1997

 

 

Star Trek Theme Song

Alexander Courage

STS-125

05/11/2009

 

 

Start Me Up

Rolling Stones

STS-132

05/14/2010

 

 

The Distance

Cake

STS-130

02/08/2010

 

 

Theme from the Star Wars Trilogy

John Williams

STS-120

10/23/2007

 

 

These are the Days

10,000 Maniacs

STS-112

10/07/2002

 

 

Time for Me to Fly

REO Speedwagon

STS-99

02/11/2000

 
Categories
Coluna do Astrônomo

Próxima parada: Marte!

Em 2011, a NASA enviará para o planeta Marte mais uma sonda. Dentro dela, um robô terá a missão de estudar se o planeta vermelho já teve ou tem condições para a existência de alguma forma de vida. Mas não fique achando que estamos falando de homenzinhos verdes, como nos filmes de ficção científica. O robô vai procurar por formas de vida bem pequenas, como os micróbios ou bactérias.

Você pode participar dessa missão! Entrando no site da NASA, você pode incluir o seu nome no microship que estará dentro do robô.

Para isso, você tem que ir para o seguinte endereço:

http://marsparticipate.jpl.nasa.gov/msl/participate/sendyourname/

A seguir, preencha com o seu nome (first name) e sobrenome (last name), o país de origem (select your country) e o CEP (enter your zipcode).

Será possível gerar um certificado que você poderá imprimir.

Então, vamos embarcar nessa?