Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Perspicillum

Ninguém sabe quem inventou o telescópio. Na maioria das vezes, isso é atribuído a Galileu Galilei, mas isso está errado. Não sabemos quem inventou o telescópio! Mas sabemos quem NÃO o inventou. Certamente não foi Galileu…

Outro nome associado à invenção do telescópio é o ótico holandês Hans Lippershey. Há mais verdade nisso do que na história de Galileu. De fato, Lippershey tentou patentear um instrumento “para ver coisas ao longe como se estivessem perto”. A patente não foi concedida, pois já havia rumores de que tais instrumentos já estavam em uso antes disso. Mas o governo holandês ficou tão impressionado que recompensou Lippershey com uma boa soma em dinheiro.

A “invenção” de Lippershey foi citada pelo Rei do Sião, em um relatório produzido por sua Embaixada na Holanda, endereçado ao Príncipe Maurício, datado de outubro de 1608. Tal documento circulou  pela Europa (o que hoje chamaríamos de “viralizou”) e estimulou vários óticos, físicos e filósofos a construírem seus próprios equipamentos. Entre tantos cientistas, Galileu Galileu.

Por falta de um nome oficial, Galileu batizou seu novo equipamento de perspicillum, um neologismo em latim que nasceu do mesmo tronco das palavras “perspicácia” e “perspectiva”. Para Galileu, aquele era um instrumento que lhe trazia uma nova perspectiva perante o mundo celeste. E, de fato o fez. Galileu descobriu luas ao redor de Júpiter, crateras na Lua, fases de Vênus…

Mas definitivamente não inventou o telescópio! Nem o nome oficial é de sua autoria… A palavra “telescópio” foi cunhada pouco tempo depois, em 1611, pelo matemático grego Demisiani. “Tele-”, longe; “scopos”, ver.

E como vemos longe com os nossos telescópios! Originalmente feito com lentes, evoluíram para os espelhos e se tornaram maiores, mais potentes e mais precisos. Hoje temos telescópios gigantes, além de um ambicioso projeto de construção de um telescópio de 30m de diâmetro em seu espelho principal!

O que seria da Astronomia sem essa perspicaz tecnologia?