Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

O Brasil volta a sonhar com um foguete lançador de satélites

 

Depois de muito tempo em marcha lenta, o programa brasileiro de foguetes lançadores de satélites volta a dar sinais de vida.  O maior motivo deste grande atraso certamente foi o trágico acidente de agosto de 2003. Um incêndio causado pela ignição inesperada de um dos estágios iniciais destruiu o terceiro protótipo do VLS (Veículo Lançador de Satélites), a torre de lançamento e ceifou 21 vidas preciosas de técnicos do CTA (Centro Técnico Aeroespacial).

Em dezembro de 2010, subiu aos céus maranhenses um foguete de sondagem brasileiro.  Aquele foi o quinto lançamento bem sucedido desde 2004 do VBS-30 que tem vários sistemas em comum com o VLS. O equivalente ao VBS-30 no mercado de foguetes de sondagem é o inglês Skylark. Este foguete britânico foi criado em 1955 e foi construído até 1979. Seu último lançamento foi em 2005. O VBS-30 tem bastante potencial de vir a substituí-lo em breve.

Agora a equipe do CLA, Centro de Lançamento de Alcântara (Maranhão), se prepara para um teste simulado do VLS na nova torre de lançamento reconstruída com maiores cuidados de segurança. O teste será feito sem combustível com um foguete em escala real. A ideia é simular as diversas etapas do lançamento criando oportunidade para aprimorar os procedimentos.

Ainda não desisti de ver um satélite posto em órbita por um foguete brasileiro. Vamos aguardar em contagem regressiva.