Nossos Astros na Ficção Científica: Saturno


Saturno e seus anéis. A Divisão de Cassini aqui pode ser vista.

Na série dos Nossos Astros na FC, hoje falaremos de Saturno.

Saturno é o último planeta, em distância do Sol, visível ao olho nu e, portanto, conhecido desde a Antiguidade. Nas tradições da Ásia Oriental, os planetas eram associados aos Elementos, e Saturno era chamado “A Estrela da Terra” (a teoria dos Elementos no Oriente difere da Clássica, grega). Os hindus o tinham por Shani, juiz dos bons e maus feitos em vida. Sumérios e babilônios o associavam a Ninurta, deus da agricultura e da cura (mais tarde tornando-se também um deus da guerra); os gregos e romanos lhes deram os nomes de um mesmo titã, aliás pai de Júpiter: Cronos e Saturnus, que também presidia sobre a agricultura – e o Tempo.


Shani

Ninurta
Cronos/Saturno

O segundo maior planeta do sistema solar e o sexto a contar do Sol; assim como Júpiter, Saturno é um gigante gasoso e tem um séquito de dezenas de luas (62 com uma designação formal, mais inumeráveis outros pequenos satélites), encabeçado pela segunda maior do sistema solar, Titã (a honra de ser a maior cabe a Ganimede, em Júpiter. A nossa é a 5a no páreo), maior até do que o planeta Mercúrio. Mas nenhuma delas faz frente ao seu maravilhoso sistema de anéis, a marca registrada de Saturno. Todos estes ambientes serviram à literatura fantástica como cenários e referências em diversas obras.

“Micrómegas” (1752), por Voltaire, cita Saturno como ponto de viagem do personagem-título, um alienígena de um planeta ao redor da estrela Sirius. Lá ele faz amizade com um saturniano (seres de 1.800 metros, 72 sentidos e que viviam 15.000 anos) que decide viajar com Micrómegas, parando na Terra – onde se dá o comentário que Voltaire quer fazer da sociedade, por estes personagens.


Saturno e parte de sua Corte.

Saturno passou pelo mesmo processo que os demais planetas conheceram, com descrições de seu meio ambiente razoavelmente similares às da Terra, até que descobertas por uma tecnologia mais adequada revelassem sua verdadeira natureza e aspecto. Afinal, os planetas externos do sistema solar – contados de Júpiter em diante – são os mais distantes da Terra e de nossa capacidade de observação, sendo ainda os mais diferentes e, fatalmente, os mais misteriosos. Dentre os pioneiros da Astronomia que o estudaram, destaca-se Sir William Herschel, que determinou que os “braços” ao redor de Saturno eram anéis independentes, sem ligação material com o planeta e descobriu sua maior lua, Titã.

Sir Humphry Davy, em “Consolations in Travel” (1830), descreve gigantes habitando Saturno; o qual é apenas avistado a distância por Hector Servadac e seus companheiros em suas “Viagens e Aventuras Através do Mundo Solar” (1877), de Júlio Verne, livro que o descreve como tendo 8 luas e três anéis.

Clark Ashton Smith, amigo e colaborador de H. P. Lovecraft no que se convenciona hoje em dia por “Mythos de Cthulhu”, deu atenção a Saturno em algumas histórias, a partir do conto “The Door to Saturn” (1932), onde o mago da Era Hiboriana (a mesma de “Conan, o Bárbaro”) chamado Eibon foge para Cykranosh (Saturno), e a fauna e flora hostil, mais raças inteligentes dão vida a um mundo onde deuses de nomes impronunciáveis habitam.

Stanley G. Weinbaum, em “Flight on Titan” (1935), escreve sobre um casal da Terra lutando para sobreviver em uma paisagem desolada, fria e assolada por ventos em Titã.

Em “Os Manipuladores” (1951), de Robert Heinlein, agentes secretos americanos combatem parasitas alienígenas controladores de mentes vindos de Saturno, em uma obra sintonizada com a paranoia anti-comunista de época.

Buscando por autonomia, os colonos marcianos viajam até Saturno para adquirir em seus anéis toda a água que precisam, em “Nós, os Marcianos” (1953), de Isaac Asimov.

No livro de “2001 – Uma Odisseia no Espaço” (1968), de Arthur C. Clarke, a Discovery originalmente ia para Saturno, e não Júpiter, como no filme de 69 e nas obras subsequentes. Clarke ainda descreve com detalhes, em “Terra Imperial” (1975), uma colônia humana em Titã.

Em “If the Stars Are Gods” (1977), de Gregory Benford e Gordon Eklund, é feito o primeiro contato com uma IA alienígena, espalhada pela superfície de Titã.


No polo norte de Saturno, uma grande tempestade gera um hexágono na atmosfera ao redor.

Japeto, uma lua de Saturno, é lembrada em obras como a de Kim Stanley Robinson “The Memory of Whiteness” (1985), onde ela é colonizada por descendentes do regime soviético na Terra que mantiveram lá um sistema comunista; enquanto que na trilogia “The Armageddon Inheritance” (1993), de David Weber, aliens genocidas procuram arremessá-la contra a Terra.

Em outra trilogia, “Night’s Dawn” (1996-1999) de Peter F. Hamilton, Saturno é o campo de reprodução e berçário de naves vivas.

“Accelerando” (2005), de Charles Stross, conta da Humanidade vivendo em cidades flutuando na atmosfera de Saturno.

“The Quiet War” (2008), de Paul J. McAuley, conta como a lua Encelado é um dos campos de batalha no Século 23, quando a Terra invade as colônias saturnianas.

Em “Saturn Run” (2015), de John Sanford e Ctein, americanos e chineses correm atrás de uma nave alienígena detectada ao redor de Saturno, em 2066.


Em foto da Missão Cassini-Huygens (1997-2017): os gêiseres de Encelado.

No presente momento, um interesse hipotético para uma futura colonização do sistema saturniano depende principalmente de luas como Titã, Encelado e Rhea. A primeira, pela farta presença de hidrocarbonetos, o que em geral é tido como um fator econômico a ser levado em conta; as demais, por apresentarem uma capa de gelo que pode estar cobrindo um oceano de água em estado líquido, fornecendo água para futuras colônias locais, sendo que ainda delas poderiam ser feitos entrepostos para abastecer missões aos demais planetas externos, dado que a cada órbita planetária amplia-se em muito a distância do Sol, resultando em viagens cada vez mais longas e demoradas.

E é para lá que vamos na semana que vem, quando a coluna volta com Urano, Netuno e Plutão na Ficção Científica.

Luiz Felipe Vasques

27/05/2019

Links Externos:

https://en.wikipedia.org/wiki/Saturn_in_fiction

https://en.wikipedia.org/wiki/Titan_(moon) http://www.sf-encyclopedia.com/entry/outer_planets