Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Gáses Primordiais

Quando queremos saber sobre a origem e evolução do Sistema Solar, precisamos conhecer os objetos que não foram modificados desde a contração da nebulosa original. Esses corpos celestes são os asteroides e os cometas. Eles preservam a configuração original e podemos, assim, desenvolver as teorias necessárias para compreender de onde viemos e como surgimos.

Mas quando falamos do Universo, que é tudo o que existe, ainda não tínhamos nenhuma pista das nuvens primordiais. Eu falo “não tínhamos” porque agora foram encontradas duas nuvens que possuem essas características.

Como nuvem primordial consideramos aquelas que contêm apenas elementos leves, como o hidrogênio e o hélio. Nosso Sol, por exemplo, foi formado de uma nebulosa que foi contaminada por elementos pesados, como ferro, ouro etc. Isso ocorreu através da explosão de uma ou mais estrelas próximas: as supernovas.

As nuvens primordiais foram encontradas próximas a quasares, o que seria o mais provável, pois eles são os objetos mais distantes observados e, consequentemente, os mais antigos. Com essa descoberta, a teoria do Big Bang ganha um grande reforço, que prevê a formação de tais nuvens logo após o seu início.