Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Eclipse Lunar Total

 

Entre todos os fenômenos astronômicos, o eclipse é o mais impactante. Históricos de observações são compartilhados por todos os povos e com as mais diferentes interpretações. Desde os chineses antigos, que tocavam tambor para espantar o dragão que estava comendo o Sol, até os indígenas brasileiros que atiravam flechas e faziam o maior estardalhaço para espantar a onça celeste (Vixi) que corre atrás dos irmãos Sol e Lua. Para eles, se os irmãos forem pegos, o mundo se acabaria em escuridão total.

 

No próximo dia 15 de abril, teremos um Eclipse Lunar Total. Inicia-se, à 1h53min, a fase penumbral, não sendo perceptível a olho nu e, somente a partir das 2h58min, início da fase umbral, poderemos perceber o fenômeno. (Veja a imagem do esquema de um eclipse lunar total, fora de escala.)

 

Às 4h6min da manhã, dar-se-á a totalidade. Neste momento, toda a Lua terá uma coloração avermelhada. Os puristas poderiam perguntar: Se a Lua encontra-se na sombra da Terra, por que ela não desaparece, uma vez que não tem luz própria?  E eu respondo: A Terra possui atmosfera e esta refrata a luz do Sol. Esta decomposição da luz branca nas diversas cores faz com que a parte azul vá para o espaço e a luz vermelha chegue até a Lua, deixando-a avermelhada, da cor do sangue, como alguns gostam de falar, e até a denominam Lua Sangrenta.

 

A Lua ficará avermelhada por 1h18min e às 5h24min inicia o final da totalidade, voltando a ficar branca às 6h33min, já com dia claro. Para observar o fenômeno, é só olhar em sentido ao oeste, o lado em que o Sol se põe. É importante que a área esteja liberada de montanhas para que não comprometa a observação.

 

A Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro irá transmitir o evento pela Rede Mundial de Computadores. Serão duas câmeras fazendo imagens da Lua e uma terceira câmera com imagens de um astrônomo, que irá responder quaisquer dúvidas e questionamentos sobre o fenômeno ao vivo. Aos interessados, fiquem ligados na nossa página no Facebook, que minutos antes divulgaremos o link para a transmissão para participação do público. Lembramos que é um evento que depende das condições atmosféricas. Portanto, caso o tempo esteja nublado ou chuvoso, a observação do fenômeno fica impossibilitada.

 

Vamos torcer por céu limpo!