Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Chuva de Meteoros Perseídeas – Agosto de 2014

 

Depois da Superlua do último dia 10 de agosto de 2014 (aproveito para avisar que em setembro haverá outra!), o céu nos oferece agora a chuva de meteoros Perseídeas, cujo máximo de atividade deve ocorrer entre 12 e 13 de agosto. Essa chuva é melhor observada do hemisfério norte, mas pode ser observada de alguns lugares abaixo do equador, bem próxima ao horizonte.

Esse ano, o Google resolveu homenagear as Perseídeas fazendo uma menção a ela em seu logo com uma bonita animação.

As Perseídeas acontecem quando a Terra cruza o rastro do cometa Swift-Tuttle, e as partículas de poeira deixadas no espaço por ele entram em nossa atmosfera. Como o nome da chuva diz, seu radiante está na constelação de Perseu, que pode ser vista baixa no céu em algumas cidades do Brasil e muito melhor observada em cidades no hemisfério Norte.

A quantidade média de meteoros das Perseídeas é de 80 por hora. Lembre-se que é apenas uma média e não garante que essa taxa aconteça cada ano. Não é fácil prever com boa exatidão se haverá muitas ou poucas partículas nem seus tamanhos e velocidades. Todos esses fatores contribuem para a chuva de meteoros ser bela, média, ou um fiasco. Ok, nunca é um fiasco observar o céu!

Aliás, para garantir que não haverá fiasco, há a Lua cheia no céu. Bom, talvez a Lua cheia garanta que a chuva será um fiasco… afinal, Lua cheia é bonita mas atrapalha qualquer outra observação do céu, e seu brilho ajudará a ofuscar os meteoros mais fracos das Perseídeas.

Não espere muito das Perseídeas esse ano, mas, caso você se anime mesmo assim, abaixo estão duas Cartas Celestes do dia 12 de agosto de 2014, uma para Brasília e outra para Paris, ambas às 2 horas da madrugada (no horário local de cada cidade, 5h UTC e 00hUTC).