Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Asteroide 1998 QE2

Por Jorge Marcelino – Astrônomo da Fundação Planetário da Cidade do Rio de Janeiro

Descoberto no dia 19 de agosto de 1998 pelos observadores do projeto LINEAR (Lincoln Experimental Test System), localizado no Novo México, EUA, o asteroide 285263 (1998 QE2) terá a sua máxima aproximação do planeta Terra conforme as seguintes informações:

Dia: 31 de maio de 2013
Horário: 20h59min Zulu (17h59min no horário de Brasília)
Distância: 5,8x106km (aproximadamente 15 vezes a distância da Terra à Lua)
Tamanho aproximado: 1,4km x 3,2km
Velocidade: 10,58km/s
Magnitude: 10,58

Seu período é de 15 anos e 46 dias, sendo seu retorno ao ponto mais próximo da Terra estimado para 7 de dezembro de 2028.

Este asteroide estará em condições propícias para que sejam feitas várias imagens de alta resolução. Estas poderão mostrar, com riqueza de detalhes, a superfície deste objeto. As imagens serão feitas por radiotelescópios como o de Arecibo e o Goldstone do JPL, da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), que podem mostrar estruturas com tamanho aproximado de três metros. Assim, objetos que eram observados apenas como pontos de luz, ao passar próximo da Terra, poderão ser estudados como pequenos mundos com um conjunto de características únicos, como observado pelo astrônomo Lance Benner do JPL.

Espero que os propagadores do apocalipse não vejam este asteroide como mais um destruidor da raça humana.

Uma relação de asteroides e as características de suas aproximações máximas podem ser vistas no site www.apolo11.com