Usamos cookies em nosso site para lhe dar a experiência mais relevante, lembrando suas preferências e repetindo visitas. Ao clicar em "Aceitar tudo", você concorda com o uso de TODOS os cookies. No entanto, você pode visitar "Configurações de cookies" para fornecer um consentimento controlado.

Visão geral da privacidade

Este site usa cookies para melhorar sua experiência enquanto você navega pelo site. Destes, os cookies categorizados conforme necessário são armazenados no seu navegador, pois são essenciais para o funcionamento das funcionalidades básicas do site. T...

Sempre ativado

Os cookies necessários são absolutamente essenciais para que o site funcione corretamente. Esta categoria inclui apenas cookies que garantem funcionalidades básicas e recursos de segurança do site. Esses cookies não armazenam nenhuma informação pessoal.

Quaisquer cookies que podem não ser particularmente necessários para o funcionamento do site e são usados especificamente para coletar dados pessoais do usuário através de análises, anúncios, outros conteúdos incorporados são denominados como cookies não necessários. É obrigatório obter o consentimento do usuário antes de executar esses cookies em seu site.

Alexei Leonov (O Alienígena)


Alexei Leonov: pioneiro do espaço.

Alexei Arkhipovich Leonov nasceu em 30 de Maio de 1934 e faleceu dia 11 de Outubro último. Ele foi um piloto e general da antiga Força Aérea soviética, escritor, artista e cosmonauta.

É dele a primeira atividade extra-veicular, ou caminhada espacial: quando o cosmo/taiko/astronauta sai da segurança de sua nave e se expõe aos rigores do espaço, com seu traje espacial selado. Sem a tecnologia desenvolvida mais tarde que oferecia a possibilidade de propulsão, somente um cabo umbilical o conectava à cápsula Voskhod-2. Isso foi executado em 18 de março de 1965.


“Sobre o Mar Negro”

Nos 1960s, a ficção científica já era gênero estabelecido, e com a corrida espacial, era como se seus escritores antecipassem o futuro em alguns poucos anos: Gagarin havia ido ao espaço em 1957 e agora as duas superpotências competiam por feitos no espaço exterior. Até o fim da década, a Lua seria visitada e “2001 – Uma Odisseia no Espaço” estaria publicado e filmado, e a todos era óbvio que Marte seria alcançado pela Humanidade em coisa de dez anos, se tanto.


“Dentro de Uma Cratera Marciana”

O gênero também se diversificava nessa década, com a entrada de temáticas ligadas às ciências humanas e sociais em campo. Em 1965, Phillip K. Dick tinha seu “Os Três Estigmas de Palmer Eldritch” publicado, Harry Harrison publicava a sátira à Guerra do Vietnã “Bill, o Herói Galáctico”, e um dos marcos do gênero como um todo, falando de política, religião e civilização também era lançado: “Duna”, de Frank Herbert. Era a entrada da “new wave” da FC, com temas indo além de extrapolações antecipadas por autores com afinidades nas Ciências Exatas.

As telas ainda nos davam “Viagem Fantástica”, “Fahrenheit 451” e “O Planeta dos Macacos”, entre muitos outros.


“Em um Mundo com Dois Sóis”

Leonov teve a experiência, sentiu a inspiração e deu vazão pela técnica: pintor auto-didata, ele foi um raro caso de criador de “arte espacial” tendo uma vivência em primeira mão. Quando subiu ao espaço, levava lápis e um caderno, retratando o que via pelas escotilhas. As pinturas que vemos ao longo da coluna de hoje são de suas obras.


“Alvorada Cósmica”

Ele ainda contribuiu para a ficção científica ao co-escrever o roteiro do filme soviético “The Orion Loop” (1980), de Vasily Levin.

O próprio gênero lembrou-se dele: Arthur C. Clarke, ao escrever “2010 – Uma odisseia no espaço II” (1982), apresenta uma nave soviética que leva seu nome. 


Cosmonauta Alexei Leonov (“2010 – O Ano Em Que Faremos Contato”, 1986)

A similaridade de uma das imagens icônicas de “2001 – Uma Odisseia no Espaço” (1968) com um quadro seu (abaixo) não lhe escapou, obtendo Clarke um desenho autografado mais tarde.


“Perto da Lua” (1967) e cena de “2001” (1968)

Dez anos depois, em julho de 1975, Leonov esteve em uma missão orbital de grande importância, quando uma cápsula soviética Soyuz e uma americana Apollo se encontraram em órbita, e seus ocupantes confraternizaram, executando um símbolo pela paz nos tempos de guerra fria e lutando por outros sonhos e inspirações, não menos importantes.


Artista e suas obras.

Nada mal, para quem teve um início modesto pintando flores em fogões ajudando com a renda da família.

Luiz Felipe Vasques

14/10/19

 Links Externos

Algumas de suas obras, a fonte das imagens de hoje:

https://www.rt.com/russia/470722-leonov-cosmonaut-paintings-space/

Wiki (em inglês) sobre Leonov:
https://en.wikipedia.org/wiki/Alexei_Leonov