A constelação da Coroa Boreal

A pequena Coroa Boreal é uma constelação que tem suas estrelas formando um arco pela metade, quando olhamos para ela no céu. Mas o local onde ela se encontra fica para o norte e, por isso, o boreal no nome. Suas estrelas são mais brilhantes que as estrelas da constelação da Coroa Austral, sua “irmã” do sul, e é facilmente localizada entre as constelações de Hércules e do Boieiro, principalmente no começo das noites de inverno. Também é uma constelação muito antiga, estando presente no famoso livro Almagesto.

Várias estrelas se destacam nela, mas apenas as duas mais brilhantes têm nomes próprios: Gemma (a mais bela ou gema) é a mais notável, também é conhecida como Alphecca, mas, como esse nome também aparece numa estrela da Coroa Austral, ele não é quase usado; e Nusakan (indigente) é a outra estrela com nome.

As lendas contadas sobre esta constelação são confusas e misturadas, e envolviam Dionísio (deus das festas, do vinho, do teatro) e Ariadne, filha do rei de Cretas, seu grande amor. Um dos contos dizia que Ariadne havia sido abandonada por um príncipe chamado Teseu, quando os dois se conheceram e se apaixonaram.

Dionísio, então, para demonstrar todo seu encanto pela a amada, deu-lhe uma coroa de presente. No dia de seu casamento, Ariadne usou essa coroa e Dionísio, para comemorar o dia festivo, transformou o presente em constelação e a colocou no céu.